Mensagens - PASTORAL

A falta que a falta faz

 

 “Que a graça e a paz de Deus, no nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês!” (Efésios 1.2) Amém.

Queridos pais e alunos, professores e funcionários do CEAP,

Desde recém-nascido nos acostumamos a buscar aquilo que nos falta. Se falta comida, sentimos fome, choramos e logo a mamãe vem nos alimentar. Se falta agasalho, sentimos frio, choramos e logo a mãe vem nos agasalhar... E assim crescemos com esse aprendizado. Sentimos falta e vamos buscar aquilo que nos falta. E, quando bebês, basta “chorar” que somos atendidos naquilo que nos falta.

Os pais, que eram indivíduos completos, com o nascimento dos filhos passam a ter uma parte fora de si. Só ficam bem, se seu filho/a está bem. Só estão felizes se seu filho/a está feliz. Só têm tudo quando seu filho/a tem. E fazem um esforço danado, até se sacrificam, para que este “pedacinho de si”, se torne um “pedação de gente” e, logo, um ser humano completo, autônomo, livre, autossustentável... mesmo sentindo que seu filho/a sempre será parte de si.

A tarefa dos pais é fazer de um pedacinho de si um ser humano completo. A tarefa do/a filho/a é tornar-se um ser humano completo, digno, honrado, autônomo, sabendo que sempre será um pedacinho de seus pais. O CEAP está aqui para auxiliar nesse processo.

 “Vós pais não podeis dar tesouro maior aos filhos do que a formação. Casa e quintal, queimam, desaparecem; o saber é bom de levar.” (Martim Lutero)

Para Deus nós somos seres humanos completos, do jeitinho que Ele nos fez. Ele nos equipou com dons, habilidades, particularidades, forma física para que possamos ser únicos, especiais e importantíssimos para Deus, para nossos pais e familiares, para nossos amigos, em nossas redes e relações familiares, sociais e profissionais.

No processo de crescimento vamos descobrindo e desenvolvendo tudo isso. Partindo do “pedacinho de gente”, da dependência total, para nos descobrir, aceitar e aperfeiçoar tornando-nos completos do jeito que somos, únicos exemplares de nossa espécie, com seus defeitos e qualidades.

Nesse caminho, encontramos outros que também estão nesse processo constante. Pessoas que passam a fazer parte espontaneamente, pela lei da atração, de nosso processo de descobertas, aprendizados e reafirmação do que somos.

Logo vocês vão sentir falta de outras coisas: falta da casa onde vocês cresceram, falta da comidinha da mamãe, falta do colinho e do calor do beijo que cura todas as feridas, desde o machucado no joelho até o machucado no coração. Essa falta vai fazer vocês crescerem, aprenderem e a valorizarem as coisas, a vida, as pessoas...

Somente quando sentimos falta é que vamos buscar suprir o que nos falta. A falta é um processo de aprendizado. Que vocês possam viver intensamente esse processo de crescimento, de descobertas, de evolução.

“Portanto, prestem atenção na sua maneira de viver. Não vivam como os ignorantes, mas como sábios. Os dias que vivemos são maus; por isso aproveitem bem todas as oportunidades que vocês têm. Não ajam como pessoas sem juízo, mas procurem entender o que o Senhor quer que vocês façam. Não se embriaguem, pois a bebida levará vocês à desgraça; mas encham-se do Espírito de Deus.” (Efésios 5.15-18)

Viver com sobriedade e lucidez é não se embriagar de si mesmo, ou pelo sucesso, ou poder ou da glória pessoal. Isso impossibilita a pessoa de ser um aprendiz humilde diante de Deus e do mundo. Isso tira a lucidez da pessoa e dificulta o aprendizado.

Viver com sobriedade e lucidez é saber-se parte e ao mesmo tempo um ser humano completo. Viver com retidão sob a Palavra de Deus. Viver para honra, louvor e glória de Deus. Viver dando bom exemplo e bom conselho. Compreender a vontade de Deus e viver segundo a sua vontade.

Como indivíduos únicos, sempre seremos parte: parte da família, parte da sociedade, parte do mundo. Como indivíduos completos, podemos ser e fazer a diferença em todas as nossas redes de relações.

Encerro essa reflexão com as palavras do Apóstolo Paulo dirigida aos Efésios (6.23-24): “Que Deus, o Pai, e o Senhor Jesus Cristo deem a todos os irmãos paz e amor, com fé! E que a graça de Deus esteja com todos os que amam o nosso Senhor Jesus Cristo com um amor que não tem fim!” Amém.

Alberto Gallert – Pastor Escolar do CEAP.